Portal G8
Jornalismo com ética e credibilidade

Estudante da PB que tirou nota mil na redação do Enem estudava 10 horas por dia em casa: ‘valeu a pena

“Valeu a pena”. Esse foi o primeiro pensamento de Maitê Maria ao saber que tirou nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021. A média geral ultrapassou os 800 pontos. Mas, antes disso, ela lembra do percurso até alcançar o resultado máximo, quando se dedicava 10 horas por dia aos estudos, enquanto se preparava em casa para as provas, na cidade de João Pessoa.

“Fiquei incrédula. Acho, que na verdade, a ficha ainda não caiu. Para a maioria dos estudantes [a nota mil] é algo distante. Foi uma felicidade sem tamanho. A nota final depende dela e ter a nota máxima realmente abriu caminhos. Já vinha construindo essa nota e agora, finalmente, consegui chegar à pontuação máxima”, comemorou ainda surpresa.

A paraibana, de 20 anos, sonha cursar medicina para ajudar as pessoas com o trabalho. “Quero ser a face de Deus para quem precisa”, revelou.

Esta é quarta vez que a jovem faz as provas do exame. Já houve uma aprovação, mas para estudar em Campina Grande, no Agreste do estado. Por isso, ela preferiu continuar tentando até passar em uma universidade na capital paraibana.

“Nesse último ano, estudei sozinha em casa. Veio a pandemia em 2020 e acabei me adaptando muito a esse tipo de estudo. Me descobri e acabei optando por continuar em 2021”, explicou.

A rotina era organizada no decorrer do dia. Pela manhã, ela estudava entre 8h e 12h. No turno da tarde, após o intervalo para o almoço, retomara às tarefas entre 14h e 18h. Já no período da noite, entre 20h e 22h.

E, mesmo com uma jornada longa de estudos, Maitê não esqueceu de descansar. Pelo contrário, investiu em atividade física e nos momentos de lazer. Para isso, contou com o apoio dos pais e do irmão mais velho.

 

Loading...